segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

As quatro coisas que o Papa Francisco diz aos pobres

O papa definiu um projeto de vida que rechace o consumismo e recupere a solidariedade, o amor entre nós e o respeito à natureza como valores essenciais.

Presidencia de la República Mexicana
Ignacio Ramonet – 09/01/2017
“É verdade que há pequenos grupos fundamentalistas em todos os lugares. Mas o terrorismo começa quando parte do desprezo à maravilha da Criação, do homem e da mulher, e prioriza o dinheiro. Toda a doutrina social da Igreja se rebela contra o ídolo dinheiro, que reina em lugar de servir, tiraniza e aterroriza a humanidade.
“Após os eventos de – Roma, em 2014 e Santa Cruz (Bolívia), – o III Encontro Mundial dos Movimentos Populares voltou à capital italiana para sua terceira edição, ocorrida entre 3 e 5 de novembro de 2016. Participaram do evento cerca de 200 ativistas, representantes de 92 organizações, provenientes de 65 países, dos cinco continentes, que representam os mais pobres da Terra:
  • vendedores ambulantes,
  • recicladores de lixo,
  • camponeses sem terra,
  • indígenas,
  • desempregados,
  • favelados,
  • organizações de sem teto, etc.

sábado, 14 de janeiro de 2017

“Bauman só podia estar de acordo com um papa como Francisco”. Entrevista com com Gianni Vattimo

(Foto: CartaCapital)“Para Zygmunt Bauman, a ética coincide com o colocar-se à disposição do outro, também – e sobretudo – fora das estruturas sociais ‘líquidas’. Uma visão bastante otimista da pessoa como ‘eu moral’ a serviço do próximo espoliado de todas as qualificações sociais. Na prática a sociedade líquida deveria ser aquela onde contam menos as pessoas e mais o ‘eu’, menos os papéis, as funções, mais o indivíduo”, reflete Gianni Vattimo, filósofo italiano, em entrevista de Stefano Caselli, publicada por il Fatto Quotidiano, 10-01-2017. A tradução é de IHU On-Line.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Redes sociais validam o ódio das pessoas, diz psicanalista

Nas redes sociais, é possível expressar o seu ódio, dar a ele uma dimensão pública, receber aplausos de seus amigos e seguidores e se sentir, de alguma forma, validado.
Além disso, a linha entre uma ameaça virtual e uma ação criminosa é tênue, como ocorreu no caso da chacina ocorrida em Campinas (SP) no começo do ano, quando um homem matou a ex-mulher, o filho e outras dez pessoas durante uma festa de Ano Novo.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Manutenção das três principais bacias hidrográficas do país depende da preservação do Cerrado. Entrevista especial com Fernando Tatagiba

Depois de quatro anos de negociação e da realização de estudos fundiáriossocioeconômicos e ambientais envolvendo o governo estadual de Goiás e o Ministério do Meio Ambiente – MMA, a comunidade que reside nas proximidades do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, está na expectativa de que a área do parque seja ampliada de 65 mil hectares para 222 mil, no próximo mês.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

ESTÁ CHEGANDO: XXI ENCONTRO NACIONAL DAS FAMÍLIAS DOS PADRES CASADOS – MFPC

85
Caros colegas do MFPC, pensando em vivermos um momento de congraçamento e fraternidade,  o grupo do MFPC/Brasília está organizando com muito carinho e dedicação, o XXI Encontro Nacional das Famílias dos Padres Casados.
Nos dias 18 a 22 de janeiro 2017, em Brasília, no Instituto Israel Pinheiro, à beira do Lago Paranoá.
 Tema:  Renovação e Esperança
Faltam menos de três meses para o nosso encontro. Ainda dispomos de vagas para as inscrições que devem ser efetivadas o mais tardar até o dia 20 de dezembro. Em tempo de crise, a temática proposta pela diretoria da Associação traduz-se em provocação e desafio. Talvez renovação devesse soar de modo mais ousado, pois se trata de verdadeira recriação do sentido da vida cristã à luz da esperança no Ressuscitado.

Leonardo Boff em entrevista: “O Papa Francisco é um dos nossos”

 O brasileiro Leonardo Boff, nascido em 1938, é filho de imigrantes italianos. Em 1959 ele ingressou na ordem dos franciscanos e estudou durante 5 anos na Alemanha.

Joachim Frank – 06/01/2017Leonardo Boff beim Interview in Berlin
Foto: Markus Wächter
A entrevista é de Joachim Frank, publicada por Kölner Stadt Anzeiger, 25-12-2016. A tradução é de Walter O. Schlupp.
Nos anos 1980 Leonardo Boff, enquanto principal representante da teologia da libertação e em função da sua crítica à igreja oficial, entrou em conflito com o Vaticano e seu principal guardião da fé Joseph Ratzinger. Depois de, por duas vezes, o proibirem de publicar, deixou a ordem em 1992 e renunciou ao sacerdócio.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Papa Francisco: “A tragédia de Lampedusa fez-me sentir o dever de fazer viagens”

O Pontífice: não estava programado, mas era importante ir. Depois não parei mais: é cansativo, mas por aqueles sorrisos vale a pena


Andrea Tornielli 08/01/2017 – Cidade do Vaticano
Foto: Papa Franciso fez 80 anos em 17 de dezembro  –   LaPresse
Tradução: Orlando Almeida 
Na terça-feira, 10 de janeiro, estará nas livrarias o livro “In viaggio” [Em viagem] (edições PIEMME, pp. 348, 18 euros), o relato das viagens internacionais do Papa Francisco escrito por Andrea Tornielli, jornalista do diário’ La Stampa’ e coordenador do ‘site’ Vatican Insider.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

O novo rosto da Cúria Romana sob o comando do Papa Francisco

novo Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral começou a trabalhar no dia 1º de janeiro, marcando uma nova fase no processo de reforma do Vaticano.

A reportagem é de Nicolas Senèze, publicada por Crux, 03-01-2017. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

Entre dos corredores da Cúria Romana, muitos estão felizes em descobrir um novo significado para o trabalho que desenvolvem aí desde que o Papa Francisco deu início às reformas. Outros, cujas funções foram rebaixadas, queixam-se de um papa que não se satisfaz com o a desculpa do “sempre fizemos deste jeito” ou com atitudes de quem diz “nunca fizemos isso antes”.

sábado, 7 de janeiro de 2017

Leonardo Boff em entrevista: “O Papa Francisco é um dos nossos”

O brasileiro Leonardo Boff, nascido em 1938, é filho de imigrantes italianos. Em 1959 ele ingressou na ordem dos franciscanos e estudou durante 5 anos na Alemanha.
A entrevista é de Joachim Frank, publicada por Kölner Stadt Anzeiger, 25-12-2016. A tradução é de Walter O. Schlupp.
Nos anos 1980 Leonardo Boff, enquanto principal representante da teologia da libertação e em função da sua crítica à igreja oficial, entrou em conflito com o Vaticano e seu principal guardião da fé Joseph Ratzinger. Depois de, por duas vezes, o proibirem de publicar, deixou a ordem em 1992 e renunciou ao sacerdócio.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

A questão do sacerdócio corporativo.

Eduardo Hoornaert.

Num determinado momento de sua navegação pelos séculos, o cristianismo oficial decidiu optar por uma organização interna da Igreja por meio do sacerdócio corporativo. Esse é um tema pouco discutido, mesmo nos círculos que se situam mais à esquerda do espectro eclesial, embora seja de fundamental importância. Importa saber se a opção pelo sacerdócio corporativo, que tem data, lugar e protagonistas, foi um desvio dos propósitos originários do movimento de Jesus ou uma evolução positiva. Para tal, proponho que façamos uma incursão pela história, em traços breves, pois aqui não se trata da defesa de uma tese acadêmica, mas de um convite à reflexão.

Para enxergar os “secundas” além do romantismo

"Num país ameaçado por múltiplos retrocessos, eles voltaram a ser, em 2016, um sinal de possível virada. Como chegaram a tanto? Quais seus limites? Que podem ensinar à esquerda histórica?", questiona Jean Tible, militante e professor de Ciência Política na Universidade de São Paulo, em artigo publicado por Outras Palavras, 23-12-2016.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

'É uma fábrica de tortura, que produz violência e cria monstros', diz padre que visitou presídio

Pessoas feridas, celas superlotadas e uma alimentação precária. Essas são as principais lembranças que o padre Valdir João Silveira, coordenador nacional da Pastoral Carcerária, tem das três visitas que fez ao Compaj (Complexo Penitenciário Anísio Jobim), em Manaus.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

IRMÃO FRANCISCO, PRECISAMOS DE MAIS CARDEAIS E DE OUTROS BISPOS

A mensagem do site dos jesuítas chilenos da Reflexão e Libertação: “Para que, quando tu faltares, não haja possibilidade de dar marcha à ré” 
pope-francis-and-cardinals
Alver Metalli 
Tradução: Orlando Almeida
Foto: Mais rápido…
O autor do artigo, Faustino Vilabrille Lina como “um padre do campo”, que passou quase toda a sua vida numa paróquia de Asturias, “formada por 8 povoados, nenhum dos quais têm água corrente nas casas”.

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

O Brasil pode ter em breve padres casados

Padres casados 3
Christa Pongratz-Lippit – 30/12/2016
Tradução: Orlando Almeida
O Papa Francisco poderá atender brevemente o pedido especial dos bispos brasileiros de permitir que padres casados ​​retomem o seu ministério sacerdotal, disse o teólogo da libertação Leonardo Boff numa entrevista ao jornal alemão Kölner Stadt-Anzeiger, em 25 de dezembro.

O segredo de Francisco: tempo para o ócio silente

Deixo aqui os meus melhores votos para o novo ano, desejando a todos saúde, paz, realizações felicitantes e também o que me parece de suprema urgência: ao longo do ano todo, algum tempo para o ócio silente.
Anselmo Borges – 31/12/2016
O Papa Francisco, que, neste nosso mundo global, talvez seja o líder político-moral mais amado e é um dos mais influentes, levanta-se muito cedo todas as manhãs. Para quê? Para, no ócio silente e criador, antes de todas as suas tarefas, poder rezar, contemplar, encontrar-se consigo no mais profundo de si, lá onde se encontra com o mistério da Presença enquanto Fonte, Deus.
Este é o seu segredo: “Entrar no mistério significa capacidade de assombro, de contemplação; capacidade de escutar o silêncio e sentir e ouvir o sussurro desse fio de silêncio sonoro no qual Deus nos fala.”
Uma das características da nossa época, que causa estragos sem fim, é a agitação geral e frenética, consumista, que tudo devora. O nosso tempo não tem lugar para o ócio, aquele ócio de que fala a scholê grega. Vivemos, como dizia o grande bispo do Porto D. António Ferreira Gomes, na “agitação paralisante e na paralisia agitante”, isto é, não vivemos verdadeiramente. Porque o autenticamente humano está recalcado.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

A emergência de uma humanidade atravessada pela hospitalidade

Por: João Vitor Santos 
Tradução: Sandra Dall’Onder
O estado de crises em que o mundo parece mergulhado, de problemas humanitários a políticos e econômico-sociais, pode ser resumido como “crise global de hospitalidade”. É nesse sentido que vai a perspectiva do professor e teólogo italiano Marco Dal Corso. “Trata-se de uma crise cultural e, talvez, espiritual, antes de uma crise social e política. Se isso é verdade, precisamos repensar nossas categorias fundantes, pelo menos aquelas sobre as quais construímos a chamada cultura ocidental”, explica.

sábado, 31 de dezembro de 2016

FIM DE ANO


Mais um fim de ano, mais despedidas. São dias que temo a ida e a volta de alguns. São dias alegres e vagos ao mesmo tempo.

Uma hora beija a festa, na outra abraça as malas. Lançam artifícios ao céu e estouram o espumante. E ainda tem a ceia, a reza, as mãos dadas e alguns sorrisos seguidos de lembranças honrosas e as não honrosas. Tem lembranças que queríamos estar de mãos dadas, outras indo de cara a tapa, de soco ao chão. Tem olhos forçados a admirar ao redor e ao seu redor. Algumas bebidas vale brindes, outras algumas sobriedades. 

Papa Francisco: Profeta contra a irrelevância

"O aniversário de 80 anos na Igreja Católica normalmente designa a data em que os cardeais perdem o direito de eleger o papa, e em que – do ponto de vista de Roma – bispos meritórios renunciam definitivamente ao seu ofício, tendo já ultrapassado de cinco anos a idade normal da aposentadoria. Em Bergoglio, nada faz pensar nesses prazos. Está cheio de energia e mentalmente age de modo mais jovial e aberto do que a maioria dos bispos, padres e políticos, incluindo até mesmo aqueles biologicamente décadas mais jovens. Muitos esperam que este papa, tão inesperadamente vindo de longe, permaneça ainda muitos anos à frente da Igreja Católica. Uma pequena, mas influente minoria, pelo contrário, espera que o papa aproveite a oportunidade de seus oitenta anos para demitir-se do cargo", escreve Kurt Appel, professor da Universidade de Viena, em artigo publicado por Settimana News, 17-12-2016. A tradução é de Ramiro Mincato.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

Ex-motorista. Irmão Mura conta o “seu” Bergoglio: ser Papa não o mudou

O religioso de origem sarda vive hoje na enfermaria da Cúria dos jesuítas em Roma. “Ele tinha um olhar especial até mesmo para nós, colaboradores temporários”.
Hoje está obrigado a viver em uma cadeira de rodas na enfermaria da Cúria dos Jesuítas em Roma, mas nunca esquece, sempre com o terço nas mãos, de rezar pelo seu antigo superior na época em que vivia na Argentina, “padre Jorge Mario Bergoglio alçado ao trono de Pedro com o nome de Francisco”, como ele gosta de recordar.

Francisco: o cristão “gosta de arriscar e sair, não forçado por sendas já traçadas, mas aberto e fiel às rotas indicadas pelo Espírito”

Texto completo da homilia do Santo Padre Francisco na Celebração Eucarística no Santuário João Paulo II, em Łagiewniki
SS. Papa Francesco - Viaggio Polonia GMG-Messa Santuario S. Giovanni Paolo II

30-07-2016


@Servizio Fotografico - L'Osservatore Romano
El Papa En El Santuario De La Divina Misericordia, Polonia - @Servizio Fotografico - L'Osservatore Romano
Na manhã deste sábado, o Santo Padre Francisco presidiu a Celebração Eucarística no Santuário João Paulo II, em Łagiewniki, para sacerdotes, religiosas e religiosos,leigos consagrados e seminaristas. Eis o texto da homilia na íntegra:

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Dom Aloísio, inspiração e ternura

Neste tempo precioso do Natal do Senhor, na alegre e visível esperança da frágil criança na manjedoura de Belém, sem esquecer o coração humano, no desejo de vê-los (os corações humanos) como se fossem manjedouras espalhadas pelo mundo inteiro, é que recordamos aquele que há nove anos partiu para a casa do Pai: Dom Aloísio Lorscheider (23/12/2007). Fonte de inspiração, ternura, solidariedade, paz e justiça, vemo-lo totalmente despojado e abandonado em Deus, confiando-Lhe seu destino. Quem teve a graça de conhecer Dom Aloísio, e com ele conviveu e trabalhou, pôde atestar sua enorme bondade: “Só sua presença já fazia bem”.[1]

O sagrado dever da hospitalidade

“A hospitalidade não traduz apenas a maravilha do encontro com o outro, mas também a agonia de estar diante de um ‘estranho’ que bate à nossa porta”, escreve Faustino Teixeira em artigo exclusivo à IHU On-Line. Em seu ponto de vista, “abraçar a hospitalidade ganha um significado muito especial nos tempos atuais, envolvendo também o desafio de habitar a Terra com sentido, acolhendo a “textura do mundo da vida”, escreve Faustino Teixeira em artigo publicado na revista IHU On-Line.

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Assim é a luta pelo poder na Igreja

 
O
papa Francisco revolucionou o Vaticano. O próximo passo é pensar em um sucessor que não reverta suas reformas. Para isso, já nomeou 44 cardeais ‘eleitores’ próximos a sua linha de pensamento
Foto: O arcebispo de Madri, Carlos Osoro em seu escritório. JAMES RAJOTTE
O velho jornalista, diplomata e sacerdote saboreia seu charuto Romeo y Julieta, demora-se no gole do whisky escocês Lagavulin e profere, envolto em uma nuvem de fumaça: “A Igreja é um porta-aviões; não é fácil mudar seu rumo. É formada por 1,3 bilhão de pessoas, 400.000 sacerdotes, 5.000 bispos e 200 cardeais dos cinco continentes. Não é como manobrar com uma canoa. Possui uma inércia incrível. É preciso tempo, firmeza e paciência. E alguém que governe o leme com firmeza. Desde março de 2013 o piloto é Francisco”.

A emergência de uma humanidade atravessada pela hospitalidade. Entrevista especial com Marco Dal Corso

O estado de crises em que o mundo parece mergulhado, de problemas humanitários a políticos e econômico-sociais, pode ser resumido como “crise global de hospitalidade”. É nesse sentido que vai a perspectiva do professor e teólogo italiano Marco Dal Corso. “Trata-se de uma crise cultural e, talvez, espiritual, antes de uma crise social e política. Se isso é verdade, precisamos repensar nossas categorias fundantes, pelo menos aquelas sobre as quais construímos a chamada cultura ocidental”, explica. Desde a perspectiva teológica, acredita que “a hospitalidade como princípio pode ajudar a repensar também a própria comunidade: quando as relações econômicas não são medidas pela posse, aquelas políticas determinadas pelas fronteiras e pela pátria e as religiosas com a pretensão de deter a verdade”. Para ele, nesta lógica, a hospitalidade também “ajuda a recriar o ecumenismo cristão e, como aprendemos com a América Latina, o macroecumenismo com as outras religiões”.

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

ANGELUS:

afeto, oração e lágrimas pelos cristãos odiados no mundo

Papa durante o Angelus - ANSA
12/2016 
Cidade do Vaticano (RV) – “O mundo odeia os cristãos, pela mesma razão pela qual odiava Jesus, porque Ele trouxe a luz de Deus e o mundo prefere as trevas para esconder as suas más obras”. Foi o que disse o Papa Francisco durante a sua alocução que precedeu a Oração mariana do Angelus na Praça São Pedro, por ocasião da festa do protomártir Estevão, o primeiro de uma longa série – observou o Papa – que continua até hoje.

Cesar Kuzma: Francisco incomoda; aparecerão mais divergências

Mauro Lopes  – Dezembro 2016
Foto: O teólogo brasileiro Cesar Kuzma ao lado do teólogo protestante alemão Jürgen Moltmann Fotos: Outras Palavras e youtube.com
  Cesar Kuzma é dos mais expressivos teólogos católicos brasileiros da novíssima geração. Ele concedeu entrevista ao Caminho pra Casa sobre o atual momento da Igreja: a marca do pontificado de Francisco, disse, é a abordagem dos problemas estruturais da Igreja, e isso causa enorme incômodo aos que estavam e ainda estão encastelados.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

Papas diferentes, personalidades diferentes – e uma continuidade subjacente

Michael Sean Winters - 15/12/2016 
Foto: Papa Francisco e Bento XVI em 2011/2016. Com os novos cardeais
“Se os silogismos nos satisfazem, a experiência não nos encanta assim como encanta a Francisco. Se acharmos que a conversa madura que começou no Vaticano II e continuou com Papa Paulo VI corre o risco de formular perguntas difíceis e exige que nos abramos intelectualmente, então veremos o esforço do Papa Francisco em reavivar essa conversa madura com suspeita ou pavor”.
O comentário é de Michael Sean Winters, colunista do National Catholic Reporter e pesquisador visitante do Instituto para Pesquisa em Políticas Públicas e Estudos Católicos da Universidade Católica da América, em Washington, em artigo publicado por National Catholic Reporter, 14-12-2016. A tradução é de Isaque Gomes Correa.

sábado, 24 de dezembro de 2016


MENSAGEM DE NATAL - Geraldo-Claudete - MFPC Ceará

DOWN TO EARTH …..”

Na canção inglesa “Once in Royal David’s City” - Uma vez na cidade real de David – (Séc. XIX), a letra diz “He came down to earth”, isto é, “Ele veio para a terra”.

Uns pensamentos a partir destas palavras.

“Ele veio para a terra” .....
Quantas vezes já temos escutado esta história?
A história do nascimento daquele Menino no meio de nós,
E por quanto tempo ainda vamos querer encontrar
Este Menino nas alturas do céu, adorando-O,
Em vez de nos alegrar em nossa missão de anunciá-Lo?

De mãe a discípula

A igreja não tem nenhuma fórmula para salvar o mundo. É uma convocatória para o trabalho. Não é pouco.